Ensaios

Perfil Psicológico de Bane

Quadrinhos
Autor(a): Leonardo Gianetti | 29 de março de 2019 | 12:37

Nome: Bane Dorrance    Sexo: M      Paciente: 3,677AA

Nome do Pai: Sir Edmund Dorrance   Nome da Mãe: Desconhecido

Naturalidade: Prisão Peña Dura, República Caribenha de Santa Prisca

História

Bane foi difícil de analisar, uma vez que sua história mais recente mostra a difícil infância que teve logo pequeno, numa idade parecida com a de Bruce Wayne, perdeu seus pais, sua mãe é morta dentro da prisão Peña Dura em Santa Prisca, sendo obrigado a viver junto de criminosos, sem compaixão sem carinho e também sentenciado a cumprir a pena de seu falecido pai. Sempre sozinho, Bane teve que aprender a se virar, caçar seu próprio alimento, se defender, estar sempre alerta. Provavelmente a imagem de sua mãe morta faz com que esta criança desenvolva um nível diferenciado de ansiedade. Ao contrário dos habituais que podem ocorrer entre crianças de 8 a 9 anos, sua ansiedade o colocava em num looping de pensamentos relacionados a morte e sobrevivência, uma sequência de questionamentos de como sobreviver neste mundo, levando-o a conclusão que para sobreviver deve ser o mais forte de todos e o mais esperto.

Isso faz com que Bane exercite seu físico e mente freneticamente para chegar à grandeza. Comparando-se a um tubarão, o mundo seria sua presa. Mas isso não basta, é necessário ficar mais forte. Começou a utilizar a droga chamada Venom, esta droga afeta apenas os músculos, tornando-os maiores, mais fortes, mais resistentes, a ponto de parar uma bala. Mas ao parar de usar esta droga, o corpo do usuário começa a sentir dores agonizantes, levando a loucura ou até mesmo a morte. Assim, Bane mantém essa droga circulando em seu corpo constantemente.

Análise

Bane não conseguiu se segurar ao descobrir a existência do maior detetive do mundo, o maior monstro de Gotham, o Batman (é claro). Ele tem que provar para si mesmo que é melhor que o Morcego. Podemos ver que Bane desenvolveu certo narcisismo, diferente do comum. Além de se considerar superior que os outros, ele tem essa necessidade de aumentar sua condição física, nos levando a crer que ele possui TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo) de Vigorexia. Um transtorno onde o individuo procura sempre procurando melhorar seu corpo, corrigir defeitos físicos, que normalmente não seriam defeitos, entrando em constantes exercícios físicos, neste caso mental também.

Por várias vezes ele consegue provar ser o melhor, afinal, para ele, quem deve ser superado é o Batman. Várias vezes ele conseguiu sobrepujar o herói, como quando quebrou a coluna do herói com suas próprias mãos. Bane sem dúvida é um personagem de grande profundidade, e muita inteligência. Sua estratégia é impecável, conseguindo colocar em risco a Liga da Justiça. Em sua primeira aparição na nova DC Renascimento, Bane aparece nu, sem nenhum artifício, ou o aparelho que faz o Venom circular em seu corpo. Fez-me lembrar da lenda de Beowulf, que para mostrar que é o melhor guerreiro, luta contra o monstro Grendel sem usar armas ou até mesmo roupas.

Seu discurso é sempre com a entonação de voz e o uso de palavras de alguém sábio e superior, porém, seu uso nem sempre é para encorajar ou enaltecer alguém, e sim amedrontar e diminuir. Com facilidade ele consegue esse efeito. Nos quadrinhos não aparenta ter amor, carinho ou compaixão por qualquer pessoa. Recentemente aparenta ter esses sentimentos apenas pela sua mãe, mas é algo questionável. Talvez com mais atenção possamos descobrir se ainda há a pequena criança frágil que costumava ser, debaixo de toda a enorme couraça que ele construiu com o passar dos anos, afinal, tudo isso parece ser apenas proteção.

Sua psicopatia também parece ser protetiva. Para não sentir a dor de perder alguém importante, ele construiu couraças, barreiras, assim ele não se perde ou sente dor de nenhum tipo. Não parece sofrer de luto prolongado, mas seu trauma com certeza é algo a se considerar, muito provável ele se torne mais agressivo se mencionarem sua mãe ou até mesmo se for pressionado a isso.

Bane é literalmente a representação da força, impotência, sempre o maior e mais forte, acho que ele ainda pode dar muito trabalho para a Liga, logo logo. Aqui vai uma frase que acho que representa bem a visão deste vilão em relação aos outros

“Eu não sou uma “PIADA”! Eu não sou uma “CHARADA”! Eu não sou um pássaro, nem um gato e nem um pinguim! Eu não sou um espantalho, nem uma planta e nem uma marionete! Eu não sou seu amigo quebrado! Eu não sou seu professor ressentido. Eu não sou um conto de fadas infantil! Eu não estou em um ato circense para divertir e amedrontar você! Eu não sou outro de seus malucos uivando pra lua! Eu… Não… Sou um riquinho brincando de se fantasiar! EU SOU BANE!”.

Referência:

DSM-V, Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais 5.ª edição.

Edição: YahVarella

Avatar

Leonardo Gianetti

Um Mochileiro, estudando a psicologia da mente daqueles que não entenderam o final de Lost. Sou definitivamente um Louco com um Caixa. Dentro do Ciclo da alquimia exerço minha ética.


Deixe o seu comentário!

Pular para a barra de ferramentas