Filmes

Caixa de Pandora- Uma iniciativa em prol do cinema independente

Autor(a): Bruno Birth | 17 de março de 2019 | 20:37

A distribuidora cinematográfica Pandora Filmes (atuante no mercado há 30 anos) e a rede de cinemas Cinépolis (a maior rede da América Latina) fecharam uma parceria para 2019 e exibirão filmes brasileiros e estrangeiros de produção independente quinzenalmente, em horário comercial. O projeto abrange 16 estados brasileiros, se estendendo por 25 cidades e visa, além de diversificar o catálogo de exibição dos cinemas no país, fomentar o maior acesso do público para o chamado “cinema alternativo”.

A partir de abril de 2019, a Cinépolis começa a exibir em sua programação filmes inéditos nacionais e internacionais, de diretores consagrados e jovens talentos. São filmes selecionados pela curadoria da Pandora Filmes em uma peneira baseada na exibição desses filmes em festivais de cinema prestigiados, como Cannes, Sundance, Veneza, Berlim e Toronto.

Os colaboradores apostam no sucesso da parceria para que o mercado do cinema alternativo possa se expandir no Brasil.

O evento que festejou a abertura da Caixa de Pandora aconteceu na cidade de São Paulo na última sexta-feira (15/03), no opulento shopping JK Iguatemi. Eu fui convidado especial para a ocasião, representando o canal de cinema do YouTube Cinéfilos Anônimos e o site Sem Cultura. As palavras de André Sturm, sócio da Pandora Filmes, expressam o entusiasmo pelo projeto: “Fico muito feliz que uma empresa do porte da Cinépolis entenda a importância da oferta diversificada de filmes para seu público e confie na curadoria da Pandora Filmes“.

O presidente da Cinépolis Brasil, Luiz Gonzaga de Luca, também comemora a colaboração das empresas: “É com imensa alegria que anunciamos essa parceria com a Pandora. A Cinépolis é uma assídua incentivadora do cinema de arte, bem como de filmes independentes, e poder exibi-los em nossas salas em um circuito nacional nos deixa extremamente felizes“.

O shopping JK Iguatemi é um dos locais mais elitizados da cidade de São Paulo.

Em dado momento do evento, um jornalista questionou sobre o acesso do público de classes sociais menos privilegiadas a sessões da Caixa de Pandora. Um exemplo bem colocado foi o shopping Itaquera (bairro humilde da zona leste de São Paulo), que possui salas de cinema da Cinépolis mas não faz parte do circuito da Caixa de Pandora. Segundo André Sturm e Luiz Gonzaga de Luca, o projeto precisa se emancipar antes de ser expandido. Dessa forma, o foco inicial dos colaboradores se concentra em locais onde acreditam que o público será mais presente nas sessões. Ao meu ver esse é o único furo do projeto pois ao mesmo tempo em que buscam a diversificação das exibições de cinema no Brasil, o projeto está sendo veiculado com uma certa segmentação da sociedade, o que se ilustra nos locais e valores de ingressos das sessões da Caixa de Pandora. Mas os colaboradores expressaram a vontade de não se demorar na expansão do projeto, caso ele inicie-se bem.

O filme exibido no evento é uma adaptação de um celebrado livro e estrelado por Chloe Moretz de maneira marcante.

“O Mal Exemplo de Cameron Post” é um livro escrito pela americana Emily Danforth e publicado no Brasil pela HarperCollins. A adaptação cinematográfica ganhou o prêmio do festival de cinema de Sundance e conta a história de uma garota lésbica do ensino médio que, descoberta por sua família cristã ultraconservadora, foi enviada a um internato cristão para ser “consertada”. De modo sublime e intimista, o filme trata da personalidade de Cameron e de como é nociva a “boa intenção” de seus professores cristãos ao tentar fazê-la odiar quem ela é, tentando alterá-la completamente para algo mais aceitável socialmente. Se trata de uma história de luta por identidade pessoal que gostei muito de contemplar. A atmosfera do filme tem muito do cinema independente, sem muitas peripécias cinematográficas, com simplicidade audiovisual e muita entrega na interpretação dos jovens atores. Esses elementos tornam o filme extremamente realista.

“O Mal Exemplo de Cameron Post” faz parte do catálogo da Caixa de Pandora e será lançado dia 18/04. O primeiro filme do projeto a ser exibido será uma produção francesa chamada “Quando Margot Encontra Margot”, no dia 04/04.

Os complexos Cinépolis participantes da Caixa de Pandora são: JK Iguatemi (São Paulo), Iguatemi Alphaville (Barueri), Nações Bauru (Bauru), Campinas Shopping (Campinas), Parque Maia (Guarulhos), Jundiaí Shopping (Jundiaí), Iguatemi Esplanada Sorocaba (Sorocaba), Iguatemi Ribeirão Preto (Ribeirão Preto), Continente Park (São José), Iguatemi São José do Rio Preto (São José do Rio Preto), Amapá Garden (Macapá), Center Shopping Uberlândia (Uberlândia), Patio Batel (Curitiba), Patteo Olinda (Olinda), Praça Nova (Santa Maria), Lagoon (Rio de Janeiro), Manaíra Shopping (João Pessoa), São Luís Shopping (São Luís), San Pelegrino (Caxias do Sul), Natal Shopping (Natal), Boulevard Belém (Belém), Millennium (Manaus), Bela Vista (Salvador), Rio Poty (Teresina) e RioMar Fortaleza (Fortaleza).

Bruno Birth

Bruno Birth

E aí, beleza? Sou engenheiro pesquisador e adepto inveterado da ciência, um fã fissurado de fantasia medieval, um amante informal de antropologia, um admirador da sétima arte. Sou um marinheiro do infinito mar do conhecimento e minha missão é, por meio de meus artigos, trazer sempre algo interessante pro seu dia-a-dia, caro leitor do “Sem Cultura”. Instagram: bruno_birth Twitter: @BirthBruno


Deixe o seu comentário!

Pular para a barra de ferramentas